Casa sustentável

Postado em 06/12/2012, 15:00


POR: ISABEL GOES

20

 

 Ter uma casa ecologicamente sustentável não significa abrir mão da modernidade, da beleza ou do conforto. Planejar uma casa verde além de ajudar o planeta pode se traduzir em economia na hora de pagar as contas.

Caso você não possa investir nos aparelhos de energia solar, trocar as lâmpadas convencionais por fluorescentes, por exemplo, já é uma atitude que gera menos gastos – financeiros e ecológicos. Mas preste atenção especial ao descarte, por conter mercúrio, as lâmpadas fluorescentes precisam ser descartadas em local apropriado para não contaminar o meio ambiente.

 

Use detergentes biodegradáveis, eles podem até ser mais caros, mas são mais econômicos e rendem muito mais que os comuns. Cuidados como não deixar a torneira constantemente aberta, pode parecer pouco, mas a economia na conta vai mostrar que é uma atitude ecológica. Só para escovar os dentes, são cerca de 12 litros de água economizada.icos e rendem muito mais que os comuns.

Sempre que for às compras, prefira as ecobags. Mesmo com a informação de que as sacolas são biodegradáveis, elas poluem o ambiente. Sua ecobag é charmosa e personalizável. Única.

Portanto, a escolha de que sua casa seja sustentável está totalmente em suas mãos, através da mudança de hábitos e atitudes inteligentes.

 

 


Organizando as finanças na casa nova

Postado em 20/12/2012, 15:33


Por: Isabel Goes

 

31

Quem casa quer casa. Mas precisa organizar e deixar com a cara do casal, com o jeito que sempre sonharam. Para os noivos, os desafios são um pouco maiores que simplesmente onde guardar a roupa de cama. É preciso se acostumar a viver junto, dividir as contas, planejar o orçamento familiar. E quando a cerimônia termina é a hora de viver o cotidiano.

Todas as tarefas devem ser discutidas muito antes de subir ao altar. É nesse momento que as habilidades devem ser expostas e o trabalho de cuidar das finanças do casal deve ser divido. Mas o fato de um dos dois tomar conta da vida financeira não quer dizer que o outro está excluído, muito pelo contrário, os dois precisam saber como anda a vida financeira. E juntos também devem planejar um orçamento, mensal e anual, de gastos e pagamentos.

Os hábitos de consumo também precisam ser levados em consideração na hora de planejar o orçamento doméstico. Casais de classes sociais diferentes podem ter dificuldades de falar sobre dinheiro, bens e investimentos. Mas é uma conversa necessária e que não pode ser adiada, porque os problemas financeiros são uma das maiores causas de crises entre casais.

Estabelecer um orçamento que pode ser gasto por cada um, é uma ideia interessante para manter a individualidade e não criar dependência financeira. Para evitar as dívidas, tão comuns nos dias atuais, algumas dicas podem ser muito úteis:

- Mensalmente façam um balanço das contas, o que entrou, quanto foi gasto com despesas fixas e extras e quanto sobrou. Para isso, uma lista com o planejamento do casal a médio e longo prazo: compra de um carro, casa, fazer uma pós-graduação, ter filhos. Assim fica mais fácil organizar a poupança.

- Anote até as menores despesas para saber onde está gastando o dinheiro.

- Aproveite o Imposto de Renda para fazer um balanço da vida financeira da família.

- Sempre que possível, evite comprar a prazo, os juros acabam com qualquer salário.

- Planeje um plano de aposentadoria privado, e junte dinheiro para isso.

E não se esqueça: dinheiro não é tudo na vida, mas ajuda a para realizar grande parte dos nossos sonhos.